wpe94.jpg (89681 bytes)  Açude Boqueirão de Cabaceiras

Barragem Epitácio Pessoa

DESCRIÇÃO GERAL

       A barragem do Açude Boqueirão de Cabaceiras, construída no local  denominado  Boqueirão,  barra o rio Paraíba,  pertencente ao sistema de mesmo nome. Situa-se a oeste de João Pessoa, a cerca de 45 km da cidade de Campina Grande.

       O acesso ao local pode ser feito a partir de Campina Grande, por via rodoviária, através da PB-148.

       O lago formado cobre uma área de 2.680 ha, acumulando um volume de 535.680.000 m3 oferecendo um potencial energético de 2.300 CV.  A  sua bacia  hidrográfica cobre  uma área de 12.410 km2 . Tem  como  finalidade  perenizar   o rio  Paraíba,   gerar energia elétrica e abastecer d'água a cidade de Campina Grande.

HIDROLOGIA

       A documentação dos estudos realizados na época da construção não está mais disponível, Recentemente foi feita uma revisão da  hidrologia  deste açude,  iniciada  por uma análise de  consistência dos dados, realizada  pelo  método  da locação  gráfica acumulativa.

        A avaliação da chuva média na bacia foi obtida pelo desenvolvimento do método das isoietas. Nos estudos fluviométricos foram analisadas todas as medições de descarga realizadas no rio Paraíba, nos postos de Boqueirão e Lauro Müller. 

       A partir daí, foi realizada a calibragem dos postos, definida a curva-chave, que foi extrapolada para os níveis altos, e comparada com estudo semelhante executado pelo Engº. R.0. Martin, do U.S. Geological Survey.

       Os estudos de deflúvio prosseguiram com a definição de um índice pluviométrico para a bacia hidrográfica, obtido através da média aritmética dos postos localizados na bacia.

       Foi estabelecida uma correlação entre os deflúvios avaliados para os dois postos e  aplicada a correlação no período para o qual havia dados disponíveis. Foi  assim obtida a  série completa de deflúvios e simulada a operação do reservatório, através  da aplicação da equação da continuidade (Fig. 2).

wpe95.jpg (17736 bytes)

Fig. 2 - Curvas x área x volume

       A vazão regularizada, bruta, foi obtida através da aplicação da curva acumulada dos deflúvios, para 42 anos hidrológicos, e do estabelecimento de alguns critérios referentes ao volume útil do açude.

CARACTERÍSTICAS HIDROLÓGICAS

Área da bacia hidrográfica               12.410km2

Pluviometria média                          661 mm

Deflúvio bruto                                138 x110m3

Vazão regularizada bruta                 4,2m³/s, para uma frequência de garantia de 90%

 Vazão regularizada líquida               2,24m³/s para 90% de freqüência de permanência.

 GEOLOGIA E GEOTECNIA

       A geologia do local da obra é representada por migmatitos gnáissicos, fundamentalmente xistosos, pertencentes ao embasamento cristalino que apresentam pequenos dobramentos, evidenciando assim a atuação dos esforços tectônicos.

       Entrecortando esta rocha, ocorrem, na ombreira direita, dois diques de material quartzo-feldspato.

       A rocha se apresenta pouco a medianamente alterada, muito fraturada e com grande número de fraturas abertas (Fig. 3).

wpe1.jpg (47200 bytes)

Fig. 3 - Perfil longitudinal pelo eixo

ARRANJO GERAL

       A concepção do projeto compreende um conjunto de obras de terra e concreto que objetiva uma adaptação econômica às características topográficas e geológicas do local da obra. O conjunto de obras consiste de duas  barragens  de terra de  seção homogênea, uma fechando o vale principal e uma barragem auxiliar na margem direita junto a um dos dois sangradouros,também localizados na mesma margem. Ainda na margem direita existe um túnel adutor, que alimenta uma hidrelétrica (Fig. 4).

wpe98.jpg (22730 bytes)

Fig. 4 - Arranjo geral

BARRAGENS PRINCIPAL E AUXILIAR

       A barragem principal em seção homogênea, tem altura máxima de 55,70 m, largura do coroamento de 8 m e  extensão de 347 m. Está assente em rocha sã. A inclinação do talude de montante é variável com a altura, sendo: 1 V:2,5H entre as cotas 383,36 e 354,36; 1V:3H entre as cotas 354,36 e 343,36. O talude de jusante tem inclinação constante de 1V:2,5H e três banquetes com 2,25 m de largura nas cotas 372,36, 361,36 e 350,36.

       A drenagem interna é garantida por tapete drenante, que se junta a um enrocamento envolvido por uma camada de transição. O talude de montante é protegido por um "rip-rap" convencional (Fig. 5).

wpe99.jpg (16916 bytes)

Fig. 5 - Seção transversal da barragem principal

       A barragem auxiliar tem extensão de 275 m, altura de 7,50 m e 4 m de largura do coroamento.

VERTEDOUROS

       O primeiro vertedouro, escavado na ombreira direita, tem largura de 200 m.  A soleira  está  na cota 378.36. O segundo tem largura de 80 rn e sua soleira está na cota 379,36. A seção total de vazão está dimensionada para uma descarga de 2.61 0 m3/s.

TÚNEL ADUTOR E CASA DE FORÇA

       O túnel escavado em rocha gnáissica tem seção semicircular, com raio de 3,75 m. Nele estão instaladas duas tubulações de 0,75 m de diâmetro, que alimentam duas turbinas de 1.150 CV. O túnel tem extensão de 210 m (Fig. 6).

wpe9A.jpg (24695 bytes)

Fig. 6 - Seção da tomada d´água

CONSTRUÇÃO

       As obras apresentaram um período de construção de aproximadamente quatro anos, sendo a barragem construída pelo DNOCS em duas etapas. Em julho de 1953, as obras referentes às fundações foram iniciadas,  transcorrendo  em  execução por um período de seis meses, ocasião em que o inverno impediu o prosseguimento  dos  trabalhos.  Reiniciados  os  trabalhos em meados de 1954, foram completadas as  obras  de  fundação  e  elevado  o aterro a uma altura de aproximadamente  30 m, marcando  o término  da primeira etapa.  Os  trabalhos  finais  que  corresponderam  a  segunda etapa  consistiram  da  complementação  do  maciço  e compreenderam o período de junho de 1955 a novembro de 1956.

       Pouco depois de sua conclusão, a barragem recebeu grande volume d'água (320 milhões de m3), após o que, o reservatório foi esvaziado.

       Seguiu-se a este fato o aparecimento de trincas no maciço da barragem, junto à ombreira direita, e de recalque da crista junto à margem esquerda. Previram-se, então, trabalhos de reparo que, entretanto, não estão descritos na documentação técnica disponível.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

COELHO, Roberto. Relatório sobre o Açude Boqueirão de Cabaceiras S.n.t. 4 p.

                DNOCS. Relatório açude Boqueirão. Campina Grande,

        1963. 8 p.

                DNOCS. 2. Distrito de Obras. Açude Público Epitácio Pessoa (PB); aspectos pertinentes ao túnel. João Pessoa, 1967. 5                 p.

                DNOCS/SONDOTÉCNICA. Bacia do rio Paraíba, estado da Paraíba, reconhecimento preliminar dos recursos de água e                 solo.  S.N.T

 

CARACTERÍSTICA TÉCNICAS
CAPACIDADE 535.680.000m³ LARGURA DA SOLEIRA 200m/80m
LOCALIZAÇÃO Boqueirão-PB LÂMINA MÁXIMA 3m
SISTEMA/SUBSISTEMA Paraíba DESCARGA MÁXIMA 2.610m³/s
RIO BARRADO Paraíba REVANCHE 5m
ÁREA DA BACIA HIDROGRÁFICA 12.410km² COTA DA SOLEIRA 387,36/379,36
ÁREA DA BACIA HIDRÁULICA 2.680ha VOLUME DE ESCAVAÇÃO 57.700m³
PRECIPITAÇÃO MEDI ANUAL 661mm TOMADA D´ÁGUA
VOLUME MORTO 35.000.000m³ TIPO Em Túnel
NÍVEL D´ÁGUA MÁXIMO 381,36 COMPRIMENTO 210m
PROJETO DNOCS DIMENSÃO DA SEÇÃO Semicircular com raio = 3,758m,, contendo 2 tubos com o=0,75m
CONSTRUÇÃO DNOCS DESCARGA REGULARIZADA 2,24m³/s
BARRAGEM ALTURA DA TORRE 32m
TIPO Terra Homogênea DISSIPAÇÃO A JUSANTE Caixa Dissipadora
ALTURA MÁXIMA COM FUNDAÇÃO 55,70 BARRAGEM AUXILIAR
EXTENSÃO PELO COROAMENTO 347m TIPO Terra Homogênea
LARGURA DO COROAMENTO 8m ALTURA MÁXIMA COM FUNDAÇÃO 7,50m
COTA DO COROAMENTO 383,36 EXTENSÃO PELO COROAMENTO 275m
VOLUME TOTAL DO MACIÇO 1.069.000m³ LARGURA DO COROAMENTO 4m
VERTEDOURO
TIPO Soleira Livre